Dia das mulheres, quem são elas?

Dia 08 de março é o dia internacional da mulher, mas que mulher é essa? Será que existe apenas um tipo de mulher? Será que o dia internacional da conta de incluir todas elas? Todas se sentem representadas?

Mulheres, no plural.

Nos últimos anos a palavra ‘feminismo’ ficou em evidência e, por isso, muito se fala sobre ela, mas nem sempre as coisas certas! Para começar a gente vai deixar a definição de feminismo, caso ainda exista alguma dúvida.

Fe-mi-nis-mo (substantivo) – É o movimento que acredita na igualdade política, econômica e social entre homens e mulheres.

A palavra central é a igualdade. Não é a busca por superioridade, tá bom!? Logo, o feminismo não é o oposto de machismo. O feminismo é o movimento social, político e econômico, de ideologias e filosofias que busca a igualdade entre os gêneros.

Logo, o feminismo é um movimento que precisa incluir todas, as negras, pardas, indígenas, bissexuais, trans, travestis, gordas, magras, PCD’s, ou seja, todas! Por isso, uma palavra importante é a intersseccionalidade. Porque somos todas mulheres, mas somos diferentes. E precisamos entender e incluir essas diferenças.

A mulher ideal

A nossa sociedade idealiza a figura da mulher dando a ela um lugar no nosso imaginário comum. Isso quer dizer que esse imaginário na sociedade vem carregado de algumas referências, características e idealizações. Então, para você ser, não basta se sentir, precisa corresponder a esses pontos. É aí que entra aquela célebre frase de Simone Beauvoir “Não se nasce mulher, torna-se mulher”. Isso não é legal…

Entre as características impostas, passamos a ver no nosso imaginário a mulher como uma pessoa branca, magra, que tem vulva, “sem” desejo sexual, mãe, com a sexualidade voltada apenas para a reprodução e casada com um marido.

Mas essa descrição aí em cima não é a realidade e nem o desejo de muitas, por isso precisamos desconstruir esse imaginário! Podemos ser, fazer e estar onde quisermos!

Nós podemos!

Não cabemos em nenhum molde social e também não somos um padrão, por isso, não é possível engessar o “ser” dentro de um molde. Além disso, a orientação sexual e o gênero são auto atribuídos, então ninguém pode dizer sobre isso, só você.

Assim, o texto de hoje foi escrito no plural! Porque não somos uma só, somos diferentes, fazemos coisas diferentes e temos características diferentes. A definição de mulher é subjetiva e diz respeito ao que cada uma de nós entende!

Por isso, Feliz dia pra você que se sente e que é mulher do seu jeito de ser no mundo!

Se você quiser saber mais sobre essa data, leia o texto Dia das Mulheres – Lutas e Conquistas. Aqui no nosso blog você encontra textos sobre sexo, sexualidade, relacionamentos e brinquedos eróticos, acompanhe a gente e conheça nossa loja online!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.